Amados irmãos (as)

Queridos paroquianos, devotos de São Miguel.

“Em setembro é festa outra vez.”

Celebraremos o centro de nossa Fé, CRISTO RESSUSCITADO, com a programação da festividade principalmente em cada celebração eucarística.

Nossa festividade será conduzida a luz da Palavra de Deus que norteia a dinâmica litúrgica e pastoral do mês de setembro (mês da Bíblia).

Apresento a todos o tema e o lema.

Tema:

Com São Miguel: Discípulos Missionários, o Senhor os enviou para a missão.

Lema:

Ide e Evangelizai (Mt 16, 15)

Os discípulos de Jesus não se limitavam a transmitir o que o Mestre havia dito, palavra por palavra, mas, a ser “testemunhas” da vida e dos fatos que Jesus realizou, anunciar o Reino e fazer com que esta realidade se tornasse possível. Os discípulos transmitindo a Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus, são mais testemunhas do que veículos das tradições e leis verbais. Como chegaram a ser discípulos de Jesus? O Documento de Aparecida diz: “Os que se sentiram atraídos pela sabedoria das suas palavras, pela bondade do seu tratamento e pelo poder dos seus milagres, pelo assombro inusitado que despertava sua pessoa chegaram a ser discípulos de Jesus” (DAp 21).

Jesus, ao contrário dos mestres da época, era um Mestre itinerante. Não formou, por isso, discípulos sedentários, mas os associou a suas andanças missionárias. O discípulo é chamado a ser missionário e este, por sua vez, deixar ser “disciplinado” pelo Mestre.

A visão missionária da Igreja é a mesma recebida pelos Apóstolos no dia da Ascensão do Senhor, no monte da Galiléia: “Vão e façam com que todos os povos se tornem meus discípulos” (Mt 28, 19). Esta missão tem sido possível realizar porque carrega consigo a promessa do mesmo Senhor Jesus: “O Espírito Santo descerá sobre vocês, e dele receberão força para serem minhas testemunhas… até os extremos da terra” (At 1, 8).

A Missão de Jesus nasce do Mandamento do Amor, assim sendo o missionário deve esforçar-se para ser discípulo e o discípulo para ser missionário de Jesus Cristo. Os discípulos nasceram da Missão, por isso dentro do contexto da ação pastoral, devemos lutar para que a dimensão missionária perpasse todas as atividades da Ação Evangelizadora da vida da Igreja. O Documento de Aparecida diz que “a renovação das paróquias no início do terceiro milênio exige a reformulação de suas estruturas, para que seja uma rede de comunidades e grupos, capazes de se articular conseguindo que seus membros se sintam realmente discípulos e missionários de Jesus Cristo em comunhão…” (DAp 172).

O atual Projeto de Evangelização de nossa paróquia, que tem como título “DISCÍPULOS MISSIONÁRIOS”, busca fazer com que a Alegria de ser Discípulo Missionário motive através dos gestos concretos, com o objetivo de intensificar a consciência missionária nas atividades que já estão acontecendo em nossa paróquia. E como Igreja, devemos seguir cada vez mais os passos de Jesus: nos transformar numa Igreja peregrina, itinerante e não nos conformar simplesmente com a “religião do templo”, mas nos colocar a caminho.

Cartaz

Entre os meios de divulgação da festividade, está o CARTAZ, tão esperando por todos.

O cartaz deste ano quer ressaltar a grande devoção a São Miguel principalmente neste tempo de pandemia como aconteceu em Roma. Com o poder da oração, o Papa São Gregório Magno conseguiu deter a peste que atingira Roma. O Arcanjo Miguel desceu sobre o Castel Sant’Angelo renunciando ao uso da espada.

O cartaz traz uma piedosa IMAGEM DE SÃO MIGUEL, de autoria de Saint Michael | Guido Reni (1575–1642) que nos convida a batalha constante contra todo mal.

Com o Tema “Com São Miguel: Discípulos Missionários, o Senhor os enviou para a missão” e o Lema ”Ide e Evangelizai” (Mt 16, 15), usemos deste instrumento de evangelização para levar a confiança ao coração do povo de Deus tão magoado neste tempo de pandemia, fazendo com que creiam em JESUS CRISTO. Por isso, com São Miguel, somos discípulos missionários!

Côn. José Gonçalo Vieira